Make your own free website on Tripod.com

População

  • A grande maioria dos 12.000.000 de habitantes que constituem a população de Angola provém de povos de origem Bantu
  • .
  • Outra componente considerável porém, surge da miscegenação que desde cedo começou a existir; primeiro entre os diversos grupos que migraram para o território e posteriormente com os europeus(portugueses na grande maioria) durante o período da colonização. Existem ainda algumas minorias de não-Bantu como os Bosquimanos ou bochimanes e número considerável de europeus.

  • Há 3.000 anos atrás, os bantus, deixando a selva equatorial(na região hoje ocupada pelos Camarões e Nigéria) rumaram em dois movimentos distintos, para o sul e para leste, empreendendo assim a maior migração jamais realizada em África.

  • De causa desconhecida, essa corrente migratória prolongou-se até ao século XIX. O cinturão da selva equatorial era uma barreira intransitável. Só o machado ou o machete de ferro e a rápida e nutritiva produção da banana e inhame lhes permitiram realizar uma façanha que durou séculos.

  • Um nível alimentar excelente favoreceu uma invulgar explosão demográfica. A exuberância da selva equatorial, tão propícias à agro-pecuária e o conhecimento do ferro, mineral tão frequente em África, impulsionaram a grande aventura. Caminhando sempre em direcção ao sul, estes jovens povos, vigorosos armados e organizados, venceram e escravizaram os indefesos pigmeus e bosquimanos.
  • A designação Bantu nunca se refere a uma unidade racial. A sua formação e expansão migratória originaram uma enorme variedade de cruzamentos. Há aproximadamente 500 povos Bantu's. Assim nao se pode falar da raça Bantu, mas de povos hantu, isto é, comunidades culturais com civilização comum e línguas aparentadas. Depois de tantos séculos em que se realizaram muitas deslocações, cruzamentos, guerras foram tão diversas as influências recebidas, os grupos bantu conservam ainda as raízes de um tronco originário comum.
  • O termo Bantu aplica-se a uma civilização que conserva a sua unidade e foi desenvolvida por povos de raça negra. O radical "ntu", comum a muitas línguas bantu, significa «homem, pessoa humana», "ba" é a forma plural.
  • As línguas bantu, que se podem contar as centenas, têm um tal grau de parentesco que só se compreendem partindo de um tronco comum primitivo. Os bantu, além do nítido parentesco linguístico conservam um fundo de crenças, ritos e costumes similares, uma cultura com traços específicos e idênticos que os assemelham e agrupa, independentemente da identidaderacial.

  • Os bantu caracterizam-se culturalmente por uma tecnologia variada, escultura de grande originalidade estilística, um somatório de conhecimentos empíricos notáveis e por uma literatura oral, densa e interessante, dde notável expressão intelectual.

  • As línguas actualmente faladas em Angola são por ordem de antiguidade: a Bosquimana, a Bantu e a portuguesa(oficial). Das três, apenas a língua portuguesa possui forma escrita.

  • As línguas Bantu apresentam unidade genecológica. Homburguer, "eminente Banturista" afirma que o primeiro ponto adquirido no domínio da linguística comparada foi a unidade do grupo bantu. Cita ainda, a propósito da história do conhecimento desta unidade, que os primeiros viajantes Portugueses tinham constatado poderem os naturais de Angola comunicar com os da costa de Moçambique.

  • Os Bantu angolanos repartem-se em nove grandes grupos etnolinguísticos: Quicongo, Quimbundo, Lunda-Quioco, Umbundo, Nganguela, Nhaneca-Humbe, Ambó, Herero e Xindoca(ver ETNIAS ); que por sua vez se subdividem em uma centena de sub-grupos, tradicionalmente designados por TRIBOS.